Sala Crítica
Críticas TV e streaming

A Máfia dos Tigres – 1ª temporada | Crítica

A Máfia dos Tigres – 1ª temporada | Crítica

Crítica de A Máfia dos Tigres A Máfia dos Tigres (Tiger King: Murder, Mayhem and Madness)

Temporada:

Ano: 2020

Criação: Rebecca Chaiklin

Elenco: Joe Exotic, Kelci Safferi, John Finlay, Rick Kirkham, Carole Baskin, John Reinke, Eric Cowie, Bhagavan Antle, Howard Baskin, Jeff Lowe, Joshua Dial, Sylvia Corkill, James Garretson, Allen Glover.

Existe uma teoria que aponta que 20% das vítimas de desastres naturais ficam hipnotizadas pelo acontecimento, e não conseguem se afastar da catástrofe iminente pela beleza naquele caos. É como se aquele momento de destruição fosse um espetáculo prazeroso de ser assistido, e é difícil desviar os olhos mesmo sabendo o resultado. Essa é a vida de Joe Exotic: um desastre inevitável que somos incapazes de ignorar.

A minissérie documental da Netflix trata, em seus sete episódios, da ascensão e queda de Joe, dono de uma das maiores criações de felinos selvagens dos Estados Unidos. Tigres, linces, panteras, leões; colecionados e cuidados pela mais bizarra miríade de indivíduos que se pode imaginar, tão próximos quanto uma família.

À primeira vista, não há nada de especial sobre esta série; nada que justificaria ter se tornado um sucesso mundial, com números semelhantes à Stranger Things, um dos maiores produtos do serviço de streaming. Porém, ao decorrer dos episódios, vamos mergulhando cada vez mais fundo na vida de Joe Exotic: o homem que perseguia seus sonhos e vivia pelas suas convicções. Mas Joe é apenas o protagonista; somos presenteados com muitas outras figuras curiosas, como Bhagavan Antle, o guru dos felinos, praticamente o líder de uma seita.

No aspecto técnico, contudo, a série deixa a desejar. Se por um lado os personagens são magnéticos e interessantes, por outro, o desenvolvimento da história é pobre. Grandes cliffhangers são criados para serem resolvidos logo em seguida, ou sumariamente ignorados. Em alguns episódios, problemas são apresentados já pela metade, sem qualquer contexto, e sofremos para entender do que se trata.

Outro aspecto negativo é a linha do tempo confusa. É difícil estimar o período coberto pelo documentário, assim como a ordem de determinados acontecimentos. Algumas afirmações são colocadas em tela de forma leviana, sem qualquer aprofundamento por parte da direção; uma conduta que beira à irresponsabilidade. Sempre bom lembrar que um documentário é a versão de seu diretor sobre os acontecimentos em questão, e podem não retratar a verdade dos fatos; algo que é discutido no especial lançado após o fim da série, em que figuras centrais foram entrevistadas.

Algo que pode incomodar os espectadores é a quantidade de temas relevantes que permeiam os acontecimentos e acabam não recebendo atenção. O próprio debate entre protetores da vida selvagem e colecionadores de feras, que poderia ser o assunto da série, fica em segundo plano. Mas o incômodo dura pouco: basta que Joe Exotic e seu charmoso mullet voltem ao foco da câmera para lembrarmos que esse é o seu show.

A Máfia dos Tigres se tornou um sucesso esplendoroso por seus personagens únicos, capazes de eclipsar a preguiça do roteiro. Talvez nem o mais criativo escritor poderia imaginar todas essas figuras reunidas em um mesmo contexto. Assistir a história de Joe Exotic é como ver um trem em alta velocidade deslizando por um trilho irregular. Sabemos como será o desfecho, mas é impossível não olhar.

Nota:


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Siga a gente no Instagram!

The following two tabs change content below.
Ator, escritor, diretor e roteirista, Gabryel é ruim em todas essas coisas. Crítico por natureza, adora reclamar de tudo, e é fã de filmes que ninguém tem paciência pra assistir. Carrega a convicção de que Click é um clássico cult e quem discorda é clubista.

Latest posts by Gabryel Nunes (see all)

Comments

  1. Maurício de Souza - 22 de abril de 2020 at 21:37 - Responder

    Muito bom! Vi apenas os primeiros episódios e espero terminar .

  2. […] Joe Exotic era dono de um zoológico particular, especializado em felinos selvagens, que também comercializava filhotes de maneira ilegal para ex-presidiários. A série documental A Máfia dos Tigres foi lançada em março pela Netflix e rapidamente se tornou um dos programas mais assistidos da plataforma. Confira nossa opinião sobre a série clicando aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *