Sala Crítica
Destaque Especiais TV e streaming

As 16 melhores pegadinhas sofridas por Dwight em The Office

As 16 melhores pegadinhas sofridas por Dwight em The Office

Em 2020, The Office voltou a ser uma das sitcoms mais populares do mundo. Com a pandemia, o aumento no consumo de serviços de streaming (no Brasil pode ser assistida no Amazon Prime Video e no Globoplay) e o aniversário de 15 anos de estreia, a comédia da NBC virou uma das séries favoritas de muita gente, inclusive de alguns dos membros da Sala Crítica.

Uma das piadas recorrentes de The Office é a rivalidade entre Dwight Schrute (Rainn Wilson) e Jim Halpert (John Krasinski), dois dos principais vendedores da filial de Scranton da companhia de papel Dunder Mifflin. Essa rivalidade gerou inúmeras pegadinhas, a maior parte delas sofrida por Dwight. Um estudo até chegou a calcular quanto de dinheiro Jim teria gasto para ver Dwight caindo em suas pegadinhas: aproximadamente US$ 3120. Pensando nisso, decidimos listar aquelas que mais ficaram na memória (e mais gerou risadas, obviamente). Confira abaixo:

Grampeador na gelatina – 1ª temporada, episódio 01 – Texto por João Vitor Hudson

Logo no piloto de The Office, já vemos que a rivalidade de Jim e Dwight era grande. Michael Scott (Steve Carell) está apresentando aos outros funcionários o novo estagiário da Dunder Mifflin, Ryan (B. J. Novak). Quando chega a ver de Dwight cumprimentar o garoto, ele descobre que Jim colocou seu grampeador na gelatina. Descobrimos que não foi a primeira vez que Jim colocou alguma coisa de Dwight na geladeira. Quando Dwight resolve tirar seu grampeador de lá, Michael logo o adverte, dizendo que ele precisa comer toda a gelatina para não desperdiçar comida, pois ainda existe muita gente passando fome no mundo.


Mesa no banheiro – 2ª temporada, episódio 06 – Texto por Luna Rocha

Em um dia comum de trabalho, Dwight chega na Dunder Mifflin e se depara com um grande espaço livre no escritório, onde deveria estar sua escrivaninha. Se fazendo de louco, Jim finge querer tentar ajudar o colega a encontrar a mesa, enquanto Dwight dita ameaças para quem quer que fosse que realizou a brincadeira. Ao passo em que ele se direciona para a sala de Michael para denunciar o caso, Jim resolve puxar sua atenção de volta, informando o quanto está próximo do vendedor encontrar a escrivaninha, em um jogo de quente e frio. Os colegas assistem sorridentes enquanto Dwight procura sua mesa, até descobri-la posicionada no banheiro masculino, com tudo no mesmo lugar como ele havia deixado, porém não em seu local de origem. Se já não bastasse o infortúnio, Jim ainda liga para o colega e pergunta algo profissional, fazendo que Dwight pare e atenda a ligação do banheiro mesmo.


Discurso de Mussolini – 2ª temporada, episódio 17 – Texto por João Vitor Hudson

Dwight é um funcionário exemplar na Dunder Mifflin, tendo se tornado o principal vendedor da rede. Em um evento anual, ele precisa dar um discurso motivacional para os vendedores de outras filiais da Dunder Mifflin, e Jim, cansado de ver Dwight sendo arrogante pelo título que conseguiu, resolve “ajudar” o colega de trabalho, e lhe dá algumas sugestões. Acontece é que essas sugestões são frases de famosos ditadores, como Benito Mussolini. No momento do evento, Dwight fica nervoso, mas consegue cativar o público logo de cara ao dizer que “sangue é o que move as rodas da história”, frase famosa do ex-ditador italiano. O tiro de Jim saiu pela culatra, e o público acabou se empolgando com seu discurso tirano de vendas.


Jim vira Dwight – 3ª temporada, episódio 02 – Texto por Diego Francisco

“Roubo de identidade não é brincadeira, Jim! Milhares de famílias sofrem todo ano”. Foi isso que Dwight disse quando Jim apareceu no escritório vestido e agindo como o próprio Schrute. Halpert comprou uma camisa social amarela, óculos sem grau, um relógio de pulso e uma maleta para personificar o colega – e ficou perfeito. Desde o interesse por ursos, beterrabas e Battlestar Galactica, Jim o imitou direitinho, até gritou pelo Michael antes do Dwight.


Dwight do futuro – 3ª temporada, episódio 07 – Texto por Carlos Redel

Essa pegadinha Jim conseguiu fazer mesmo trabalhando em outra filial da Dunder Mifflin, mostrando que não existe distância para sacanear Dwight. Jim, mesmo longe, não conseguiu deixar de lado a sua mania de infernizar a vida do amigo fazendeiro e, por isso, ele começou a enviar faxes para Dwight. Fingindo ser o mesmo, só que do futuro. Assim, o “Dwight do futuro” dava dicas para o “Dwight do presente”. Numa dessas, o faz alerta: que alguém envenenará o café às 8h. Ao ler a mensagem, Dwight faz uma varredura rápida da sala e vê Stanley (Leslie David Baker) saindo da sala de descanso com uma xícara de café na mão. O plantador de beterrabas, então, corre e tira a xícara da mão de Stanley, derramando o café para todos os lados. Stanley, perplexo, olha para Dwight, que responde: “Você vai me agradecer mais tarde”. Engenhosa, maldosa e hilária pegadinha.


Mensagens da CIA – 3ª temporada, episódio 10 – Texto por Carlos Redel

Essa pegadinha não é original do Jim, mas veio através de uma ideia da recepcionista Pam (Jenna Fischer). Ela conta ao colega/crush que, nos últimos meses, estava enviando cartas da “CIA” para Dwight. Ela, então, dá de presente a pegadinha para Jim, em um arquivo “secreto”. Ela explica que a CIA está considerando Dwight para uma missão ultrassecreta, a qual Jim deve decidir qual é. Porém, com a sua promoção, Halpert está indeciso se vai ou não sacanear o colega — obviamente, ele acaba sucumbindo e, com a Pam, ele bola um plano sobre uma suposta interceptação de uma transmissão e que a CIA precisava de Dwight em sua sede, em Langley, para treinamento com os outros agentes. A dupla, então, inventa que um helicóptero irá buscar Dwight, que, obviamente, fica esperando pelo transporte no topo do prédio da Dundler Mifflin. No entanto, quando seu telefone vibra, ele lê uma mensagem, dizendo que a missão havia sido comprometida e que ele deve destruir seu celular — o que ele faz, é claro. A pegadinha em si é muito engraçada, mas ver a dinâmica entre Jim e Pam para sacanear Dwight consegue ser ainda mais legal.


Condicionamento pavloviano – 3ª temporada, episódio 15 – Texto por Diego Francisco

Jim é conhecido pelo seu empenho nas suas pegadinhas e uma das mais demoradas foi a do condicionamento pavloviano. Para quem não sabe, Ivan Pavlov foi o responsável pelo experimento de tocar uma campainha antes de alimentar os cachorros para que eles salivassem só de ouvir a campainha, mesmo sem comida. E Jim passou a dar uma balinha para Dwight toda vez que o computador reiniciava e emitia um som. Dwight parou de ironizar Jim quando ele as oferecia ao ponto de aceitar sem pestanejar até que enfim Dwight estendeu a mão e salivou mesmo sem Jim oferecer a bala. O pobre coitado nem entendeu o que aconteceu com ele.


Jim vampiro – 3ª temporada, episódio 17 – Texto por Gabryel Nunes

Quando o assistente regional do gerente descobre um morcego vivendo no forro da Dunder Mifflin, Jim vê a oportunidade perfeita de pregar mais uma peça em seu amigo. Fingindo ter sido mordido pelo animal, Halpert arma uma série de conversas com Karen (Rashida Jones) reclamando dos sintomas clássicos do vampirismo: machucados causados por alho, desconforto causado por itens religiosos, super força e até intolerância ao sol. A atuação de Jim é tão convincente que Dwight – já incomodado com a demora do controle de animais – fica um tanto quanto paranoico em relação ao morcego, e quem acaba levando a pior é a pobre Meredith Palmer (Kate Flannery), que nada tinha a ver com a história.


Feliz Natal, Dwight! – 5ª temporada, episódio 11 – Texto por Gabryel Nunes

Perto do Natal, Jim resolve presentear Dwight, embalando sua mesa, cadeira e materiais de escritório em papel de presente. Dwight até se incomoda, mas ri do trabalho que Jim deve ter tido para fazer aquilo. Três horas para empacotar? Dwight consegue esfolar um cervo em dez minutos… Jim avisa que levou cinco minutos: é um faixa-preta em embalar presentes. O duelo verbal segue acirrado, e Dwight debocha de Jim por sua ideia estúpida, e senta em sua cadeira… Que não está ali! Jim não embalou os pertences de Dwight; ele posicionou as embalagens de modo a recriar a estação de trabalho de seu amigo. Um grande esforço que demandou habilidade e certamente gerou muitas risadas.


O misterioso cabo vermelho – 5ª temporada, episódio 12 – Texto por Paola Rebelo

Em um dia qualquer de trabalho, Dwight percebe que há um cabo vermelho conectado atrás de seu computador. Ele também percebe que os computadores de seus colegas de escritório não possuem aquele cabo, somente o seu. Logo sua paranoia de praxe toma conta, e o vendedor começa a investigar a origem daquele cabo e quem poderia estar por trás disso. Assim, ele sai puxando o misterioso cabo vermelho pelo escritório, arrancando pedaços de carpete e averiguando dentro de paredes. No fim, a busca de Dwight o leva a subir em um poste do outro lado da rua do escritório. Mas Jim nos tranquiliza: ele mesmo subiu naquele poste para elaborar a pegadinha, então Dwight (provavelmente) vai ficar bem.


O elevador está nos desobedecendo! – 7ª temporada, episódio 01

Após Dwight virar dono do prédio onde está a Dunder Mifflin, Jim tinha um plano. Distraindo o amigo, pouco a pouco acrescentaria mais chaves ao peculiar chaveiro de Dwight. Tudo ia bem até Pam rir da situação, despertando a atenção de Dwight e estragando a pegadinha. Se sentindo culpada por ter estragado a brincadeira, Pam resolve se desculpar através de outra pegadinha. Aliando-se a Kevin (Brian Baumgartner), a vendedora troca as funções dos botões do elevador do prédio. Ela chama Dwight com a desculpa de mostrar algo no saguão do prédio, mas o elevador se rebela: portas abrindo ao invés de fechar, subindo quando deveria descer… Pam estava se divertindo filmando Dwight, quando o elevador trava e o plantador de beterrabas entra em modo sobrevivência, tornando o momento constrangedor e nojento. No fim, perto de serem resgatados, Pam admite que foi uma pegadinha, para surpresa e admiração de Jim, que a convida para jantar fora demonstrando não estar mais chateado.


Feijões mágicos – 7ª temporada, episódio 19 – Texto por Paola Rebelo

Quando o pessoal do escritório decide fazer uma venda de garagem no depósito da Dunder Mifflin, Dwight tem um objetivo em mente. Ele vai tentar conseguir os melhores itens das vendas de cada um de seus colegas através de trocas, começando com objetos inferiores e de valor claramente questionável. No entanto, ao chegar na mesa de Jim, ele se depara com um pacote misterioso: os Legumes Milagrosos do Professor Copperfield. Jim conta para ele que, quando viajou para a Jamaica, um estranho sujeito apareceu com um carrinho vendendo os legumes mágicos, e o convence a comprar um pacote por dizer coisas sobre Jim que somente ele próprio saberia… E, logo em seguida, desaparece misteriosamente. Como Dwight não cai na história de Jim, ele se faz de desinteressado e diz que na realidade não queria vender mesmo, que a Pam provavelmente colocará o pacote entre os outros produtos à venda por engano. Eventualmente, porém, Dwight morde a isca, e acaba trocando um telescópio pelos Legumes Milagrosos.


Jim assassinado – 8ª temporada, episódio 15 – Texto por Luna Rocha

Ansioso para conhecer sua nova chefe em uma convenção da Dunder Mifflin, Dwight decide levantar super cedo, adianta tarefas em seu quarto de hotel (inclusive passando aspirador no mesmo, vai entender…) e, com a companhia da recepcionista Erin (Ellie Kemper), resolve invadir o quarto de cada um de seus colegas de trabalho para acordá-los. Prevendo que isso viria a acontecer, uma vez que Jim consegue sempre entrar na cabeça de seu colega ardiloso, o jovem vendedor prega mais uma pegadinha em Dwight, espalhando pelo quarto diversos indícios de que teria se metido com gente perigosa e, com isso, sofrido um assassinato. Dwight e Erin se espantam com as provas até que Jim despenca do armário ao chão se fingindo de morto, assustando ainda mais aqueles que chegaram ali para despertá-lo.


Jim asiático – 9ª temporada, episódio 03 – Texto por Carlos Redel

Uma das pegadinhas que mais fez com que Dwight questionasse a sua própria sanidade foi quando Jim chamou o seu amigo asiático (vivido por Randall Park) para se fazer passar por si mesmo. O Jim asiático vai trabalhar no lugar do verdadeiro Jim, que tinha uma consulta no dentista no mesmo horário. Obviamente, a pegadinha foi muito bem elaborada e o amigo do Jim aparece em fotos da família, substituindo o real, além de saber detalhes que só o verdadeiro Jim saberia, o que leva Dwight à loucura. Uma das melhores pegadinhas de The Office, sem dúvidas.


O cálice sagrado – 9ª temporada, episódio 12 – Texto por Paola Rebelo

Quando Jim está longe do escritório, Dwight encontra uma pista para encontrar o lendário Cálice Sagrado em um arquivo de antigos clientes. Pam, por não ter sido informada de nenhum plano, decide ligar para Jim, que conta para a esposa de que havia esquecido completamente dessa pegadinha, elaborada há 7 anos. Todo o escritório se envolve junto com Dwight na caça ao tesouro, que envolve mensagens com tinta invisível, cartas de baralho escondidas dentro de uma almofada, códigos secretos e uma pista até mesmo dentro de uma privada no banheiro. Logo não há mais ninguém trabalhando no escritório da Dunder Mifflin, pois estão revirando o depósito atrás do cálice. Pam, frustrada, pede para que Jim diga logo onde ele escondeu o objeto, mas ele sequer se lembra se realmente colocou um cálice no final da caça ao tesouro. Enquanto isso, um dos trabalhadores do depósito em outra sala está com o cálice falso plantado por Jim, usando-o para beber café em seu horário de almoço.


Jim não pode ser padrinho de casamento – 9ª temporada, episódio 23 – Texto por Diego Francisco

A rivalidade entre os dois vendedores evoluiu em uma forte amizade, chegando ao ponto de Dwight convidar o Jim para ser o padrinho de casamento dele. Jim foi um ótimo padrinho (levou o noivo para disparar uma bazuca!) até chegar o dia do casamento. De última hora, Jim avisa para Dwight que ele não pode mais ser o padrinho porque ele não é mais velho que o noivo. Perplexo pela revelação, Dwight fica ainda mais surpreso ao ver Michael Scott (que não aparecia há duas temporadas) como seu padrinho substituto. O momento é lindíssimo e conta com o último “Foi isso que ela disse” da série.


Bônus: A vingança de Dwight – 7ª temporada, episódio 11 – Texto por Diego Francisco

Depois de anos sofrendo com as pegadinhas do Jim, a vingança foi um prato que se come frio para Dwight – literalmente! Depois de receber uma bolada de neve na cara do Jim, que se recusou a se desculpar, Dwight, humilhado, começou a planejar a retribuição. Os dois homens concordaram em um duelo de bola de neve, Dwight surpreendeu Jim e disparou bolas de neve até ele cair no chão e ficar sangrando. Algum tempo depois, Dwight se disfarçou de Pam para jogar mais bolas de neve nele. A humilhação continuou até a hora da saída, quando Jim deve que sair aterrorizado por diversos bonecos de neve colocados por Dwight na frente da Dunder Mifflin, com medo de receber mais boladas de neve na cara.


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Siga a gente no Instagram!

The following two tabs change content below.

João Vitor Hudson

João Vitor Hudson é um publicitário aos 22 anos. Ama cinema desde quando desejava as férias escolares só pra assistir todos os filmes do Cinema em Casa e da Sessão da Tarde. Ama o MCU, e confia bastante no futuro da DC nos cinemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *