Sala Crítica
Artigos Destaque Filmes TV e streaming

Desmascarando o We Got This Covered, o maior propagador de fake news da cultura pop

Desmascarando o We Got This Covered, o maior propagador de fake news da cultura pop

Escrever em um site de cultura pop é trabalhar com fonte única. Quando um estúdio ou distribuidora não libera um release contando alguma novidade ou lança algum trailer ou anúncio em seus canais de comunicação oficias, é preciso tirar as informações de outros veículos noticiosos. Os sites mais confiáveis para isso são The Hollywood Reporter, Variety e Deadline, que contam com diversas fontes dentro da indústria e sempre divulgam notícias que acabam se provando corretas. Claro que existem outros sites que são, de fato, seguros para se informar, mas é preciso sempre ter certeza que você está acessando um lugar responsável.

E como existem centenas de outros veículos que se baseiam naquilo que foi publicado originalmente em um único site, quando um acaba noticiando algo que se revela impreciso, todos os outros que repassaram a notícia precisam se corrigir. Por exemplo, em junho de 2017, um artigo da Elle reportou que a atriz Gal Gadot ganhou apenas US$ 300 mil por protagonizar Mulher-Maravilha enquanto seu colega Henry Cavill recebeu US$ 14 milhões por Homem de Aço, recebendo 46 vezes mais que Gadot – mais um exemplo do longo debate sobre a diferença de pagamento por gênero em Hollywood. Chocante, não?

Enquanto a informação, de certa forma, procede, ela está fora de contexto. A Vanity Fair informou que os US$ 300 mil é o salário base garantido para todo filme da DC que a Gal Gadot participar previsto no contrato com o estúdio e os US$ 14 milhões (quantia ainda não confirmada) que Cavill teria feito envolvem bônus do sucesso de bilheteria e outros fatores. Neste um dia que separa a notícia errada da correta, inúmeros sites de vários países já tinham transmitido o erro. Se isso acontece com uma matéria publicada por uma revista renomada como a Elle, imagina como seria um site que maliciosamente dispara notícias imprecisas todo dia afim de caçar o máximo de cliques que conseguir.

Fake news são uma realidade e na cultura pop ninguém está com o mesmo alcance que o We Got This Covered. O nome já se tornou infame no meio: quando uma notícia é publicada pelo site ou o apresenta como fonte, é certeza que o que foi divulgado não se trata da verdade. O portal é tão notoriamente sensacionalista que até mesmo os responsáveis pelas produções acabam usando de suas plataformas para desmentir o que eles dizem.

Não, não é verdade“, confrontou Guillermo del Toro quando o site reportou que ele dirigiria um live-action de Atlantis: O Reino Perdido.

Vocês definitivamente precisam de novas fontes. Quem quer que este seja está te dando histórias falsas“, afirmou James Gunn quando noticiaram que Arnold Schwarzenegger estava sendo considerado para um papel em Guardiões da Galáxia Vol. 3.

Falso“, disse o diretor Jordan Vogt-Roberts quando o site disse que Brie Larson também interpretava uma das nativas de Kong: Ilha da Caveira.

A página do WGTC no Facebook tem 200 mil curtidas, no Twitter tem 47,2 mil seguidores e o perfil no Instagram tem 17 mil usuários. Claro, os números não são tão altos quanto de outras páginas mais populares. No entanto, o alcance deles aumenta a cada vez que outro site, independente de ter mais ou menos acessos, compartilha uma informação falsa que eles publicaram originalmente. Apenas aqui no país, sites como Cinepop, Uol, Portal R7 e Rolling Stone Brasil já compartilharam – alguns, ainda compartilham – notícias dele.

Nos últimos anos, o site conseguiu consolidar uma má reputação por inventar qualquer coisas e tentam esconder a natureza enganosa dos seus furos com “segundo nossas fontes” e procedem a citar casos em que eles adivinharam algo óbvio, tipo quando eles acertaram que os Guardiões da Galáxia estariam presentes em Thor: Love and Thunder – sendo que o Deus do Trovão foi visto pela última vez saindo com a equipe cósmica no final de Vingadores: Ultimato.

Exemplos absurdos de casos em que eles erraram feio envolvem Zack Snyder retornando para dar os ajustes finais em Liga da Justiça em 2017, Chris Hemsworth se aposentando do MCU depois de Ultimato, Wesley Snipes retornando como Blade em um filme do MCU, Brie Larson interpretando a Ahsoka Tano em O Mandaloriano e a Disney fazendo um live-action de Dragon Ball. Quanto maior o absurdo, maior a quantidade de acessos.

Redator do site The Direct, Pierre Chaliau publicou um estudo sobre as postagens do We Got This Covered em seu perfil do Twitter. Durante o período de um ano, entre 31 de dezembro de 2018 a 31 de dezembro de 2019, Chaliau separou furos publicados com exclusividade pelo site relacionados ao MCU – um total de 406 artigos publicados trazendo notícias exclusivas. Pois bem, dentre todo o material apurado, 85% ainda não tinha sido confirmadas verdadeiras ou falsas, 6,7% eram erradas, 7,1% já eram de conhecimento público quando eles postaram e apenas 1,2% eram furos que se mostraram verdadeiros, afinal, até relógio quebrado acerta a hora duas vezes por dia.

Em contexto social em que as pessoas estão se sensibilizando mais em relação as fake news, é no mínimo revoltante que um site sem qualquer credibilidade consiga ter a repercussão que We Got This Covered tem. Mesmo que o leitor possa não estar ciente da real natureza do portal, é altamente improvável que os veículos que reproduzem as notícias dele não estejam a par da quantidade de enganações por ele publicadas. Inventar e divulgar notícias falsas é simples e gera um retorno excelente. Mas o ato de constantemente gerenciar um site e atualizá-lo com informações precisas é uma atividade diária que demanda tempo, dedicação e, acima de tudo, o respeito para com o leitor.


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Siga a gente no Instagram!

The following two tabs change content below.
Estudante de jornalismo, tem 21 anos e é assistidor de séries semi profissional. Viciado em cinema desde sempre, nunca trabalhou na área e pretende mudar isso algum dia. Fã do Studio Ghibli, slashers e musicais, adora cinema sul-coreano e nas suas formas de vingança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *